Ocorreu um erro neste gadget

sábado, 31 de dezembro de 2011

Reflexões sobre o Ano Novo

  Chegamos ao fim de mais um ano, para uns um ano cheio de alegrias, para outros um ano repleto de tristezas. Porém todos tiveram a oportunidade de aproveitar o livre-arbítrio e encararam as provações de cada como bem entenderam. Tivemos alegrias globais, grandes vitórias como a primavera árabe, e também tivemos nossa individualidade vivendo dias, uns sem se dar conta da imensidão do universo concentrados somente na correria da vida cotidiana.
  Pensemos um pouco agora, nessa imensa orquestra que é o mundo, orquestrado por Deus o maestro do universo. Ele que ordena com perfeição tudo em nossas vidas desde o a brisa no dia ensolarado quando estamos pensando "que dia maldito e quente", e de um jeito ou de outro ele sempre se demonstra nas nossas vidas, em pequenas ações ou enormes ações nas quais devemos prestar atenção. Agradeçamos por mais um ano passado, e se chegamos inteiros com consciência até aqui é devido à Inteligência Suprema.
  Não nos concentremos nos erros que cometemos nesse ano ou nos anos passados, prestemos atenção justamente nas próximas oportunidades de fazer o bem, pensemos no agora ! O ano de 2012 pode não ser o ano do fim do mundo como previsto pelos maias, mas com certeza será um ano de grandes mudanças na Terra, e por isso temos que estar preparados para sermos pessoas melhores a cada oportunidade em um mundo melhor. Mudemos em 2012, nos transformemos, mas para melhor sempre.
  Mesmo que tudo pareça estar caindo aos pedaços, tudo esteja falhando, ninguém esteja de verdade com você, pense em Deus, pois ele é apoio incondicional para todas as horas. Mas não lembre do Mestre apenas para pedir, também lembre para agradecer, como um ente querido dividamos as alegrias e as tristezas porque as alegrias serão dobradas e as tristezas diminuídas.
  Para esse 2012 eu espero muito amor vindo de todos, espero mudanças para melhor vindas de cada um, muita luz para toda a humanidade, para todos que sofrem, encarnados e desencarnados. Espero muito esforço vindo de cada um, almejando não o bem estar de si somente, mas o bem estar de todos em harmonia, essa harmonia visível que é as obras divinas que nos cercam, e somos todos irmãos em Deus.

Jorge Madoz

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

O aprendizado do tolo (soneto invertido)

Quem ousa discordar de quem sabe ?
Quem não sabe.
Este sempre o faz, não é capaz nem de aprender

Ora essa !
Se não é capaz de aprender
Não sabe pra sempre.

O pra sempre dura
Até ele ser capaz de aprender.
E como fazer isso ?
Ouvindo quem sabe mais.

Mas não sem antes,
Jogar fora a névoa de ideias
Toscas, erradas, feitas pelo orgulhoso tolo,
Pois dois corpos não ocupam o mesmo espaço.

Jorge Madoz

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Momento

Não preciso de sonetos que me provem.
Entende-se por romântico o nobre,
Romântico é ser
Tolo, bobo, e morrer jovem sem saber.
A poesia feita ressoar nos corpos antes idealizados a vir.
E ao refletir no dia seguinte sorrir,
pois relembrar um pouco.
É viver de novo.

Jorge Madoz

A cada experiência

Eu sou mais ! Eu sou mais
que ontem, menos que amanhã.
A cada minuto eu sou mais, enquanto
Você lê isso enquanto eu somo,
mais e mais.

Jorge Madoz

Vem pra perto de mim

Vira minha;
Eu existo até legal,
Mas se não der, não insisto.
Faz que não quer depois se entrega, ta ?

Indícios de que me queres;
Certo é que não, porém sim. Depende.
Ai de mim, se sim é meu fim.
Rio me todo à toa de alegria.

Permaneço tosco, moço bobo.
Então penso, e desejo um pouco.
Realizarei ou não ? Vejamos né

Totalmente aberto esse sentimento agora está.
Ouve bem, vê se se inspira, eu sei que é provável.
DE MIM.

Jorge Madoz

domingo, 25 de dezembro de 2011

Natal

Chegamos no dia que talvez é o mais especial do ano pois a maior parte do mundo comemora o nascimento de Jesus, o espírito mais poderoso e evoluído, em minha humilde visão, tão puro e evoluído que não pôde vir a encarnar vindo de um ato material como o sexo. Mesmo que sem ter consciência do verdadeiro significado de toda essa mobilização, nós nos unimos para celebrar o nascimento do cristo. O dia da data pouco importa, por ser uma mera convenção, porém o real motivo não é menos que indispensável pois nesse momento o salvador da humanidade encarnou em meio a nós, para nos mostrar o verdadeiro motivo de nossas vidas, amar o próximo como nós amamos a nós mesmos. Uma atitude tão simples ao imaginar mas tão difícil de se aplicar na vivência cotidiana.
 Se você é ateu, ou se você acredita em Deus, se você é cristão ou não, você se vê em meio a pessoas comemorando o natal, e não deve julgar o natal pois ele por mais que tenha passado por transformações que o tornaram uma data tão material, ele tem o significado mais belo de todos que é o do amor, pregado por Jesus. Não é trocar presentes, não é a ceia, não é o vinho, e sim a união e o amor.
 A familia unida em um sentimento de amor, de devoção e louvor a Deus em sua perfeição, desejando humildemente ser um dia como Jesus. Evoluir moralmente, pois a evolução moral é a verdadeira missão de todas as nossas vidas. Obrigado Deus por termos Jesus, um mártir tão bondoso e iluminado que de simplesmente ver uma imagem de sua representação sentimos uma paz interior, por mais que tentemos provar o contrário ou procurar um argumento contrário a ti, sentimos um pouco do imenso amor que é toda a obra divina. Ilumine o nosso caminho, ilumine a humanidade, todos que sofrem encarnados e desencarnados, que possamos perceber o seu carinho e o seu amor que nos cerca a todo momento.
 Feliz natal a todos !
 

Meu mar, meu barco.

A minha vida é mar desconhecido,
É mar conhecido também, às vezes.
Minha cabeça é minha, só minha,
e ninguém vive nela, só o dono.

Sou capitão do meu barco.
Que é minha vida, no mar.
No mar da minha mente, onde
Tem tudo que não existe.

Eu festejo, eu que mando.
No barco sem motim, cuja
Tripulação, entra e sai diferente.

Levam pedaços de mim, roubam
o barco, desafiam o capitão.
O capitão tece sorrisos e harmoniza o coração.

Jorge Madoz

Excomungado hei. (Soneto Mutado)

Me espante se ousar !
Seu eu desprezo e o mal eu faço,
Você não terá escapatória assídua.
Pois montanha russa és,
Meu ataque
mais de mil terá sido, e os que
Choraram mais de cem.

Feiticeiro és o que, tem em si,
puro elementar de algo, natureza.
É sortudo o que enfeitiça, pois só o faz
devido à Regência "desconhecida".
Não faz feitiço os de paixão tosca,
Atração vulgar, pútrida, fétida e
Impotentemente negativa, em -sempre- vão.

Elemental, há aqui um a contar
História boba, tola, se faz não.
Eu prometo, vou falar.

Esquerda, direita, norte, bombordo.
Enfim confia, beleza, felicidade.
Detenho sua confiança, tenho tu.

Jorge Madoz

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Soneto da paciência

Deixa ir,
Que vão com Deus;
Se voltarem oferece
O quarto de hóspedes.

Se julgam saber mais
Não contesta, não almeja
Mudar os outros
É trabalho pros outros.

Vão,
Em vão,
Olha o vão

Da porta
Da chave
Fica

Jorge Madoz

Perdão, perdoe, pra ler

Sua terra tem caveiras,
e morrem porcos a urrar.
No inferno escuro odeiam,
e como odeiam nosso lar.

Vossa terra tem fogueiras,
onde queimam recém nascidos ao lar.
Morrem antes, senão semeiam,
e se a semeiam, discórdia há.

A terra de vosmicê tem freiras
que excomungam os a questionar.
Bruxas que incendeiam, enfeiam,
a seita que nasce se propagará ?

Seu coração. Eu arranco a grosseira
palavra onde está a morte a te necrosar.
Antes do mal, se enseja, em mim
O mal despeja e deseja se melhorar.

Jorge Madoz

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

TIRO, Tiro, tiro.

Me consome, me matas tanto, amor.
Me espanca, me dói tudo ! Amorzinho ?
Para ! Eu imploro ! Nunca mais tortura !

Eu não aguento mais, porque é toda
Tarde essa loucura, tortura é tontura.

Foi que fez-se tchau amora.

Adeus Amor

É o expresso, eu expresso, impresso,
eu peço, não me deixa só, vai ?
Não insisto mas eu tento, e se,
pudesse eu, diria que me amas, mais que tudo.

Jorge Madoz

Soneto das provações.

Eis que elas vêm como ondas,
Ora devastadoras, ora pequenas, fracas
Porém eis que vêm. E quando atingem
abalam, de zero a dez, a média é cinco.

Duro o período do intervalo, entre;
O meio é pior, o pior de todos.
O fim é onde se reflete e diz que valeu.
A pena mais pesada que carreguei valeu o suor.

Sabe-se sempre sossegado, o sábio ,
Sem sapato, sempre sensato. Seis sapos,
sacos chatos inflam e Explodem.

As más fases vêm, como ondas. Saibamos aguentá-las
Resistindo sempre, ou fraquejemos decidindo
Desistir e sair do mar.

Jorge Madoz

Reflexões sobre a harmonia nas relações.

  Um homem acorda e vai tomar café. Quando ele chega na cozinha percebe que acabou o café e sai já muito irritado para comprar café. Chegando na padaria ele é grosso com o vendedor que não estava feliz mas também não estava triste, mas a grosseria foi suficiente pra derrubá-lo de cima do muro pro lado da tristeza. Esse vendedor sufoca a tristeza em raiva do agressor e passa a descontar nas pessoas que vão comprar. Uma empregada entra na padaria e ao receber a grosseria ela responde com outra maior. Atrás dela, na fila, uma senhora ouve com gosto. Ao sair da padaria de carro, a senhora recebe uma fechada e usa o mesmo xingamento que ouviu da empregada, e o homem que deu fechada fica com o xingamento na cabeça, e isso vai aumentando e aumentando sua raiva e ele ultrapassa no sinal vermelho atropelando um jovem estudante. Ele presta socorro ao estudante e ao chegar no hospital conhece o pai do jovem, o homem que no começo da história foi comprar café.
  A lei de ação e reação tem sua aplicação de maneira muito mais abrangente do que na física e em outra ciência qualquer. É da ação e reação que surge a harmonia presente em nossas vidas, nossa relação com todos a nossa volta pode ser boa ou má dependendo apenas do nosso livre-arbítrio, podemos obter grosseria gratuita dos que nos cercam, podemos ser julgados a qualquer momento porém não podemos sucumbir ás provações de cada dia. Temos que buscar nosso aprimoramento moral sempre, pois toda ocasião desagradável tem um porquê. A harmonia sempre coloca provações em nosso caminho, ora para pagar algo que fizemos, ora para provar nosso avanço moral no dia-a-dia.

Jorge Madoz

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Luz

Seja luz.
Pois por mais escuras
Que as trevas sejam
Elas não podem apagar
A luz.

Um fósforo
Por mais mínimo
Que seja em um salão escuro,
Tem sua grandeza
Ao iluminar o que lhe é permitido.

Jorge Madoz

Bom dia !

Olhe lá fora,
Sim ! O sol nasceu !
Ontem mesmo ele estava lá.
Lamento não ter reparado, só agora.

Felicidade nasce com ele
Atraindo tudo que há de bom, e o sol está
Zelando por nós

O sol me faz feliz.

Deixemos o sono de lado pra ver.
Improvável é pois, não ter a vontade
Aumentada ao máximo, ao ver o dia nascer.

O Sol faz o dia.


Jorge Madoz


segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Reflexões sobre vícios

Porque necessitamos de matéria se o espírito é imaterial ? Eis que temos uma jornada na Terra, e se encontramos dificuldades quanto a vícios de qualquer natureza é porque em outras oportunidades adquirimos um karma a ser superado nessa oportunidade. O que não tem explicação nessa vida de causas e consequências pode ser explicado pela gama de encarnações que tivemos. Perdão por meus tolos erros, mas me dê forças para seguir sem erros no presente e futuro.

Jorge Madoz

Reflexões sobre algumas ilusões e iludidos

  Há quem iluda sempre, e há quem seja iludido. Quem é mais fácil de iludir ? Basta uma simples análise e a resposta é materializada. É um tanto triste ver meninas e meninos jovens acreditando em sonhos falsos, e tendo ideias absurdas julgando-as corretas e perfeitas. Ver seres humanos acreditando na ideia de falsa liberdade que as drogas dão é sempre deprimente porque no fundo nós sabemos que só eles podem se salvar. O que mais me intriga não é a vontade de perder a consciência, mas a falta desta, e o orgulho de julgar já saber de tudo, o julgar estar acima sempre foi estar abaixo.


Jorge Madoz

Eric Dolphy, um pouco de um dos meus ídolos.

Não há resgate

Ouça ! Me ajuda ! Sequestraram meu tio !
Ave Maria ! O seu parente ?
Nao.

Jorge Madoz

Policia ! Policia !

Roubaram minha cadeira !
-Amigo, só lamento.
Deixaram minha carteira,
O cao levou meu acento.

Jorge Madoz

Beleza Natural

                                                              Ó
                                                            Belo;
                                                          Beleza;
                                                     Bela natureza;
                                                   Velha mãe, bela;
                                                Luz acesa, vela, vem;
                                            Bela natureza ilumina todos.
                                                          n c b
                                                          a h e
                                                          t e  l
                                                          u i  e
                                                          r a  z
                                                          e    a
                                                          z d
                                                          z e

Jorge Madoz

Miscigenação

Ocidental europeu; Branco.
Mulato aparece; Batuque.
Negro sorri; Beleza.
Oriental amigável; Beijing.

Pangéia, plebeus idênticos.
Derivados dos puros. Impuros ?
Mar de peixes, cada um diferente.

Mas o mar é um todo formado
pelas pequenas partes.

miscigenação.

Jorge Madoz

A harmonia

Tudo está em harmonia.
Como no dia,
em que o menino teve febre.
Mas por não ter ido à aula ficou alegre.

Na essência das tristezas.
Surge a alegria, que boa companhia !
Com esta podemos enxergar as belezas.
Tudo está em harmonia.

O pai, querido amigo
Põe o filho de castigo,
Pois sabe que o futuro é o maior
Perigo.

Se aprender a refletir,
Aprenderá a sorrir
Passará a sentir,
A harmonia que está aqui.

Jorge Madoz